terça-feira, 5 de dezembro de 2017

AGENDE-SE - II JORNADA DE TRÂNSITO DO MERCOSUL EM URUGUAIANA





Início: 
Término: 
A II Jornada de Trânsito do Mercosul reunirá autoridades e representantes de órgãos ligados à segurança do trânsito de Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai.
Data: 11/12/2017
Local: Plenário da Câmara Municipal - Rua Bento Martins, n.º 2619, Centro, Uruguaiana/RS.

Horário: 8h15 às 17h

DIREITOS E DEVERES DOS PEDESTRES


Você sabia que as leis de trânsito também valem para pedestres? Isso mesmo. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), quem circula pelas ruas também tem direitos e obrigações, pessoal! Além dos motoristas, o sistema de trânsito é composto por pedestres, ciclistas, motociclistas, cada um com sua função e respectivos deveres. Com a colaboração de todo mundo, o dia a dia nas ruas fica cada vez mais seguro para os envolvidos. 
Andar pelo meio da rua, atravessar fora da faixa de pedestres, não utilizar passarelas ou outra passagem destinada a quem anda a pé são exemplos de infrações sujeitas a multa. Diariamente, encontramos registros de acidentes envolvendo pessoas em algumas dessas situações, não é mesmo? Em muitos casos, esse tipo de acidente, ocasionado pela falta de atenção e imprudências, pode ser evitado com atitudes simples.
Quer saber como? Conheça os direitos do pedestre e faça a sua parte para um trânsito mais seguro:
– Os pedestres têm prioridade de passagem quando atravessam a via sobre as faixas;
– Nas áreas com semáforo, os pedestres continuam tendo prioridade, ainda que não tenham concluído a travessia;
– Em áreas sem calçadas, o acesso será feito com prioridade pelas bordas da pista, sempre em sentido contrário ao dos veículos.
– O pedestre deve olhar atentamente para os lados ao atravessar, descer de um carro ou ônibus e esperar;
– Atravessar sempre na faixa de pedestres, utilizar passarelas ou passagens subterrâneas;
Se cada um fizer a sua parte, todos os personagens do trânsito podem contribuir para mais educação e segurança. O que você está esperando para fazer a sua parte? 

Fonte: http://www.viverseguronotransito.com.br/


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

MARCAÇÃO DE ÁREA DE CONFLITO - CONHEÇA


       Uma das principais causas de congestionamentos nas vias urbanas é a parada dos veículos na área de cruzamento das vias. Por conta disso criou-se essa sinalização especifica.

      A marcação de área de conflito (sinalização em amarelo na ilustração acima) serve para reforçar a proibição de parada ou estacionamento de veículos na área de interseção das vias, pois prejudica a circulação.

        Mesmo que o sinal esteja aberto devemos prestar atenção se existe espaço para que possamos passar até o outro lado, caso contrário, devemos parar antes da faixa de retenção e aguardar que os veículos que vão à frente concluam a travessia e só então devemos passar.

       Lembrando ainda que é infração de trânsito parar na área de cruzamento e em cima da faixa de pedestres, então esse desrespeito pode nos custar caro.


       Por isso  devemos ter um pouco mais de paciência que o resultado será muito mais positivo para todos!

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

ACIDENTES NO TRÂNSITO GAÚCHO CUSTAM PELO MENOS 7.45 MILHÕES AOS COFRES PÚBLICOS.


       A União despendeu durante o ano de 2016 R$ 7.456.508,96 para custear as internações de 4.185 acidentados de trânsito no Rio Grande do Sul. A média de R$ 1.781,72 por pessoa refere-se a sete dias de internação por pessoa, também em média.
       O montante é um cálculo otimista, pois se refere somente a entradas em hospitais do SUS. Não estão aí computadas as baixas realizadas através de convênios particulares, corporativos ou mesmo as complementações de diárias, exames, próteses e outros atendimentos realizados pelo IPE.
     Os números podem ser acessados na página Data SUS, onde é possível conferir que até agosto desse ano de 2017 foi mantida a tendência numérica, com 2.646 internações, ou 331 baixas em média por mês, contra 349 no ano passado. Embora a leve redução na média de internações mensais, somente nos primeiros oito meses do ano esses acidentados custaram ao erário R$ 5.145.765,09, ou uma média de R$ 1.944,73 por pessoa – 9,15 % a mais do que em 2016. O acréscimo no valor não é explicado pela média dos dias de internação, que permaneceu em sete dias/pessoa.
    A análise e a gestão da estatística da saúde cruzada com a estatística de trânsito compõem um dos cinco pilares da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, lançada pela ONU em 2011. Esse pilar foca no atendimento ao trauma, na assistência pré-hospitalar e hospitalar e na reabilitação. Os demais quatro pilares referem-se ao fortalecimento da gestão da segurança no trânsito, à infraestrutura viária, à segurança dos veículos e ao comportamento dos usuários.

   “Embora as despesas em dinheiro não sejam nada perto do custo humano envolvido, em termos de sofrimento, angústia, adaptações dos agora sequelados de volta à família, à vida social e profissional, elas também precisam ser levadas em conta. Esses leitos hospitalares ocupados por vítimas de acidentes que em sua grande maioria poderiam ser evitados são os mesmos leitos que faltam para vítimas das mais variadas doenças. É mais um daqueles casos em que a prevenção é muito mais vantajosa do que a recuperação, pois os acidentados muitas vezes permanecem dependentes de novos cuidados médicos e de recursos públicos para o resto da vida”, explica o diretor-geral do DetranRS, Ildo Mário Szinvelski.
Fonte: DETRAN/RS

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

"LEI DOS FARÓIS" COMPLETA UM ANO



             Completa um ano a aplicação da chamada “Lei dos Faróis”, que tornou obrigatório o uso de faróis com luz baixa sempre que o condutor estiver na estrada, inclusive durante o dia.
               Muitos países já adotaram a medida. A NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), órgão americano responsável pela segurança viária, realizou um estudo que comprovou que acender os faróis de dia reduz em 5% as colisões entre carros e em 12% os acidentes envolvendo pedestres e ciclistas.

            Essa medida torna-se ainda mais importante para os veículos de cores escuras. Naturalmente difíceis de se perceber nas estradas porque se confundem com o próprio asfalto. Especialmente nestes veículos, os faróis acesos ajudam outros motoristas a perceber quem trafega no  sentido contrário, assim como auxiliam os pedestres e ciclistas a visualizar a presença do veículo com maior antecedência.
               Dirigir com os faróis desligados na rodovia é uma infração média, com multa de R$ 130,16 e perda de quatro pontos na carteira. Naturalmente, essa infração ou qualquer outra norma que puna com multa, encontra a resistência de uma boa parcela dos condutores. O mesmo aconteceu com as faixas refletivas obrigatórias nos caminhões e ônibus, com o cinto de segurança, mas hoje seu uso é defendido por quase todas as pessoas.
         O resultado prático é que esse tipo de medida, sem custo para a sociedade, permite reduzir os acidentes, mortos, feridos, despesas no sistema de saúde, previdência e até mesmo a necessidade de pagar indenizações para vítimas pelo Seguro DPVAT.
           Portanto, como dizia uma campanha da Polícia Rodoviária Federal, acenda uma luz pela vida: ligue os faróis nas estradas mesmo de dia.

Por Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas

quarta-feira, 11 de outubro de 2017


GRANDES INFRATORES DE TRÂNSITO INADIMPLENTES SERÃO INSCRITOS EM DÍVIDA ATIVA


    Os infratores com maiores dívidas de multas de trânsito passarão a ser inscritos em dívida ativa. O decreto do Governador tratando do assunto data de 26 de setembro e foi publicado no Diário Oficial do Estado do dia 28. Na prática, isso significa que quem deve mais de 3,3 mil reais na soma de suas multas terá um processo de cobrança iniciado, e o não pagamento resultará na inscrição em Dívida Ativa do Estado do RS. Além disso, o devedor será inscrito no Cadastro de Inadimplentes do Estado do RS (Cadin/RS), podendo sofrer restrições de crédito. Após a inscrição, o débito passa a ser corrigido pela taxa Selic. Por fim, se não houver o pagamento, o crédito ficará sujeito a cobrança cartorial e/ou judicial.
    “A iniciativa visa evitar a impunidade, contribuindo assim para a mudança de comportamento que leva a maior segurança para todos em nossas ruas e estradas”, explica o Diretor-Geral do DetranRS, Ildo Mário Szinvelski. O órgão de trânsito dispõe de levantamento das dívidas dos condutores infratores em seu sistema informatizado.
    “Estamos focando primeiramente em pouco mais de seis mil condutores, cerca de 0,13% do total. Apesar de poucos, eles devem mais de 32 milhões de reais ao erário, ou uma média de mais de 4,8 mil reais cada um”, explica Rodrigo Chies, Diretor Administrativo e Financeiro do DetranRS. Serão computados os valores de multas não pagas relacionadas a um mesmo CPF.
    Os débitos em questão são não tributários, ou seja, não se relacionam a impostos ou taxas.  Dívidas tributárias como de IPVA (Imposto sobre Propriedade Veículo Automotor) são inscritas em dívida ativa pela Secretaria da Fazenda estadual, obedecendo a outro regramento.
    O decreto 53.728 remete à atribuição do órgão estadual de trânsito para realizar essas cobranças e encaminhamentos, definida pelo artigo 22 do Código de Trânsito Brasileiro e alterações. Os condutores em situação de entrarem em dívida ativa serão notificados pelo DetranRS e terão 30 dias a contar da intimação para impugnar o valor cobrado ou realizar o pagamento. A notificação será feita contra aviso de recebimento (AR), acompanhada da guia para pagamento do débito. O prazo para pagamento estará definido na própria notificação.

Fonte: http://www.detran.rs.gov.br

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

CONSELHO PARTICIPA DE PALESTRA NA 1ª BDA C MEC


     Na tarde desta segunda-feira (09/10), o Conselho Municipal em parceria com a Comunicação Social do 5º R P Mon desenvolveu palestra sobre educação para o trânsito no Quartel General da 1ª Bda C Mec. Participaram da atividade, oficiais e praças do Esquadrão de Comando da 1º Brigada.
     A palestra teve por objetivo sensibilizar os condutores sobre os cuidados básicos na direção de veículos automotores, com ênfase à direção defensiva. Os militares foram apresentados a dados estatísticos sobre os acidentes, frota, perfil dos condutores e regras básicas de trânsito.
     A conscientização de motoristas e pedestres faz parte das atividades previstas pelo Plano Municipal de Prevenção de Acidentes, elaborado pelo Conselho.

     O material foi organizado e apresentado pelo Soldado Anderson Bittencourt Flores, Assessor de Comunicação Social do 5º R P Mon, Multiplicador em educação para o trânsito e presidente do Conselho Municipal de Trânsito de Santiago.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

REUNIÃO DEFINIU MEDIDAS CABÍVEIS NOS CASOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES FLAGRADOS NA DIREÇÃO DE BICICLETAS EQUIPADAS COM MOTOR À GASOLINA


      Na manhã desta sexta-feira (06/10), o Conselho Municipal de Trânsito reuniu-se para discutir ações urgentes a serem adotadas pelos órgãos de fiscalização, sobre a condução de bicicletas motorizadas (motor à gasolina) em via pública. O encontro realizado no auditório Caio Fernando Abreu, anexo a Câmara de Vereadores, discutiu os vários casos de crianças e adolescentes flagrados na direção das bicicletas motorizadas colocando em risco a segurança de todos.


      A preocupação decorre do enorme risco que esses jovens se expõem no trânsito. Principalmente, os que realizam manobras perigosas. 


             O Delegado Charles Dias do Nascimento, Chefe da 21ª região Policial, afirmou que a Delegacia dos Delitos de Trânsito adotará todas as providências cabíveis, havendo a apreensão de adolescente na direção deste tipo de ciclomotor. Inclusive decorrendo responsabilidade criminal para o proprietário, pai ou responsável que entregar o veículo a menores de 18 anos. 


        A Guarda Municipal de Trânsito apresentou fotos registradas pelos controladores de velocidade em alguns pontos da cidade. Claramente pode-se identificar um adolescente conduzindo bicicleta motorizada, sem usar capacete ou qualquer equipamento de proteção. O equipamento registrou velocidade acima dos 50km/h.

     Por sugestão de membros do Conselho, uma campanha de conscientização ganhará espaço nas redes sociais e meios de comunicação. Como forma de alertar os pais, responsáveis e os próprios jovens sobre os riscos decorrentes do uso das bicicletas motorizadas. Adultos não habilitados também estarão sujeitos à algumas medida legais.

    Caso um  adolescente for flagrado na direção das bicicletas motorizadas em via pública, ocorrerá a sua apreensão por ato infracional, além da apreensão do veículo.  Os pais ou responsáveis serão acionados a comparecer na Delegacia de Polícia.

      Estas e outras providências têm como principal objetivo evitar que acidentes graves, inclusive com morte, ocorram em nossas ruas. É importante que jovens, pais ou seus responsáveis tenham consciência do risco que a condução das bicicletas motorizadas por pessoas não habilitadas proporciona.

       Também participou da reunião o Sr. Ademir Caldeira, representante do Conselho Tutelar, além dos Vereadores Décio Loureiro, Nélson Abreu, Cleusa Canterle, Clairton Pivoto, Dionathan Farias, Joel Oliveira e Rafael Nemitz.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

DETRAN/RS OFERECE CURSO GRATUITO A PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL




Promoção e desenvolvimento: Coordenadoria de Tecnologia e Ensino a Distância - Escola Pública de Trânsito - DIVEDUC

Objetivo: capacitar o corpo docente de escolas do Rio Grande do Sul para atuarem como multiplicadores de educação para pedestres

Público-alvo: professores do Ensino Fundamental comprometidos com um processo continuado de multiplicação

Carga Horária: 20h distribuídas em cinco semanas 

Temas abordados:  o papel do multiplicador; aspectos conceituais, históricos e psicopedagógicos do trânsito, interdependência entre o quadro de acidentalidade, a dinâmica do impacto (em caso de atropelamento) e a fragilidade dos corpos; previsão legal que disciplina a relação entre os diferentes partícipes; devidos cuidados à minimização dos riscos; princípios que repercutem na (qualidade da) convivência no espaço público, cabendo, portanto, como norte de projetos coerentes/consistentes; abordagem do tema na escola; diretrizes nacionais de educação para o trânsito; alternativas didáticas adequadas às características do público infanto-juvenil.

 Curso gratuito. CLIQUE AQUI SE TIVER INTERESSE

VAGAS DESTINADAS A PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL. 

PREENCHA O CADASTRO PARA MANIFESTAR INTERESSE.

ÁLCOOL E DIREÇÃO: UMA COMBINAÇÃO PERIGOSA


Você sabia que o álcool reduz o tempo de reação das pessoas entre 15 e 25%? Os números são de uma pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (Cpes), da Fundação Escola Nacional de Seguros (Funenseg). Essa mesma instituição realizou um estudo que aponta que, se a Lei Seca não existisse, a violência no trânsito teria abatido no asfalto cerca de 6 mil brasileiros em 2016. Parece assustador, né?
Dados do Boletim Estatístico de agosto da Seguradora Líder mostram que, só nesse mês, foram pagas 37.934 indenizações para casos de morte, invalidez permanente e despesas médico-hospitalares decorrentes de acidentes de trânsito no Brasil. Esse número é 8% maior do que o registrado no mesmo mês de 2016.
Tem muita gente morrendo por causas diversas, como imprudência, uso do celular, má conservação dos veículos e ainda pela mistura do álcool com a direção. A frase “Se dirigir, não beba” soa como mantra por aí, mas ainda é pouco utilizada na prática. Que tal mudarmos esse cenário?
Veja outras tristes curiosidades citadas na pesquisa:
–    Nos países em desenvolvimento, 10% das mortes por acidentes de trânsito ocorrem na faixa etária dos 5 a 44 anos e são concentradas nas classes mais educadas de renda média e alta;

–    Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o quarto país com mais mortes decorrentes de acidentes de trânsito, ficando atrás apenas da China, Índia e Nigéria. Vocês já viram o trânsito da Índia? Pois é. Dói estarmos tão próximos deles nesse quesito;

–    89 países têm leis abrangentes para o fator associação de bebida alcoólica e direção. No Brasil, a concentração de álcool no sangue precisa ser inferior a 0,05 g/dl.

–    Em 16 anos de duração, a Guerra do Vietnã teve um número menor de mortos americanos do que os acidentados fatais decorrentes do trânsito em um ano no Brasil.

Para saber mais sobre os efeitos da bebida e direção e outras curiosidades sobre o tema, você pode acessar a pesquisa do Cpes clicando aqui. 

fonte original: www.viverseguronotransito.com.br